PUBLICIDADE
Topo

Flamengo de Zé Ricardo e Vizeu não brilha, mas já ocupa melhor os espaços

André Rocha

03/06/2016 00h23

O Flamengo de Muricy Ramalho era engessado ao atacar e expunha a defesa com as linhas adiantadas e a incapacidade de controlar o jogo. Dois pontas abertos tirando os corredores dos laterais, William Arão avançando e deixando um buraco na intermediária defensiva.

Com dois jogos sob o comando de Zé Ricardo, o Flamengo está longe de ser brilhante e as vitórias sobre Ponte Preta e Vitória não podem ocultar isso. A equipe, porém, já ocupa melhor os espaços em campo. A distribuição dos jogadores e a movimentação são mais inteligentes.

No primeiro tempo com Mancuello. Aberto à esquerda, mas também circulando por todo o ataque. Na melhor oportunidade, Felipe Vizeu fez toda a jogada por aquele lado e serviu o argentino que perdeu gol feito e Marcelo Cirino desperdiçou sem goleiro.

O atalho, porém, era pela direita, com Rodinei levando vantagem sobre Diego Renan e Dagoberto. Porque Marcelo Cirino se movimentava. Assim como Mancuello e Alan Patrick deixando o corredor para Jorge apoiar.

O meio-campo ficou mais compacto com Arão próximo de Márcio Araújo. Em números um 4-2-3-1. Muralha quase não correu riscos, foram apenas três finalizações do Vitória no Raulino de Oliveira. Vinte desarmes certos rubro-negros, oito de Arão.

O problema é construir volume de jogo, já que o time, mesmo evoluindo, ainda é descoordenado. A tomada de decisão dos jogadores e os deslocamentos não estão afinados.

O gol saiu no abafa da segunda etapa, com Vizeu. Uma das duas finalizações no alvo, de 14 no total. Nada que encante, mesmo crescendo com a entrada de Everton. Depois Gabriel e Cuéllar. O Vitória não se mostrou capaz de proporcionar um teste importante. O Palmeiras que virou para 4 a 3 sobre o Grêmio no Pacaembu deve ser.

No Mané Garrincha será possível observar mais e melhor o time de Zé Ricardo e Vizeu. Um novo Flamengo que ganha confiança no G-4.

(Estatísticas: Footstats)

Sobre o Autor

André Rocha é jornalista, carioca e blogueiro do UOL. Trabalhou também para Globoesporte.com, Lance, ESPN Brasil, Esporte Interativo e Editora Grande Área. Coautor dos livros “1981” e “É Tetra”. Acredita que futebol é mais que um jogo, mas o que acontece no campo é o que pauta todo o resto. Entender de tática e estratégia é (ou deveria ser) premissa, e não a diferença, para qualquer um que trabalha com o esporte. Contato: anunesrocha@gmail.com

Sobre o Blog

O blog se propõe a trazer análises e informações sobre futebol brasileiro e internacional, com enfoque na essência do jogo, mas também abrindo o leque para todas as abordagens possíveis sobre o esporte.