Topo
Blog do André Rocha

Blog do André Rocha

Categorias

Histórico

Qual é o tamanho real do Botafogo? O que esperar de Zé Ricardo no futuro?

André Rocha

2012-04-20T19:14:27

12/04/2019 14h27

Foto: Thiago Ribeiro/AGIF

Oito meses de trabalho e 41 partidas. 17 vitórias, 11 empates e 13 derrotas. 55% de aproveitamento. Eis o saldo do trabalho no Botafogo de Zé Ricardo, demitido após a derrota por 2 a 1 para o Juventude e consequente eliminação da Copa do Brasil.

O desempenho em 2019 não foi nada bom e os resultados são uma mera consequência. Oitavo colocado no Carioca, atrás de equipes sem divisão no Brasileiro e sem disputar sequer as semifinais dos dois turnos  -algo que não acontecia desde 2007 com os quatro grandes do Estado. Eliminado no mata-mata nacional pelo oitavo colocado no Gauchão.

Sobrevive na Copa Sul-Americana, mas quem viu os jogos contra o Defensa y Justicia pela primeira fase sabe que os 4 a 0 no agregado foi uma "mentira" típica do futebol, já que o alvinegro foi dominado nas duas partidas pela boa equipe que disputou o topo da tabela do Argentino até a reta final da competição.

A rigor, com exceção de uma sequência invicta no Brasileiro que garantiu a permanência na Série A, o trabalho do treinador não teve consistência. Para complicar, o planejamento para 2019 deu a impressão de que o clube ainda não entendeu seu real tamanho no cenário atual do futebol nacional.

A chance real de título do Bota é o Carioca. As condições financeiras podem fazer sonhar com uma campanha digna na Copa do Brasil, ao menos chegando às oitavas e tentando algo contra um time que disputa Libertadores. Na Sul-Americana chegar mais perto do funil, talvez quartas-de-final. E no Brasileiro seguir na primeira divisão.

Qualquer coisa além disso só em um esforço hercúleo, superação pura. Como foi com Jair Ventura em 2016/17. Às vezes até se apequenando demais em jogos grandes, como na semifinal da Copa do Brasil contra o Flamengo. Mas é preciso ter ciência das reais possibilidades. Neste ano houve um certo desleixo no Carioca priorizando as competições nacional e sul-americana. Pura ilusão para quem não tem um título de expressão desde 1995.

Zé Ricardo também pode aproveitar a pausa para reflexão. O que esperar no futuro? Pulou da primeira experiência profissional no Flamengo para o Vasco, depois foi parar no Botafogo. Agora tem a oportunidade de fugir do rótulo de "técnico do Rio de Janeiro", como acontecia com Joel Santana, por exemplo.

O treinador é estudioso, esforçado. Está sempre envolvido com os cursos da CBF buscando aprimoramento. Louvável. Também é bom no trato pessoal, tanto que seus ex-comandados fazem questão de cumprimentá-lo antes das partidas. Mas seus trabalhos oscilam muito e não seguem uma linha de evolução para chegar ao topo e depois sofrer o desgaste. Compreensível pelo calendário inchado e as limitações de orçamento que encarou no Vasco e agora no Botafogo.

Alguma solidez nos clássicos, mas muitos pontos e jogos perdidos para pequenos pela dificuldade de criar espaços em um ataque mais posicional e a falta de contundência na frente. Não cria ou não define e sofre na defesa por conta das linhas adiantadas e uma certa falta de intensidade no trabalho de pressão logo após a perda da bola.

Cada um sabe onde o calo aperta, mas talvez seja hora de dar um passo para trás. Mudar de centro, de expectativas em um clube com história menor, que não gere pressão descabida pelo peso da camisa. Para rever conceitos, testar ideias. Amadurecer longe do olho do furacão.

Porque o Botafogo é grande por Garrincha, Gérson, Didi, Jairzinho, Zagallo, Túlio, Donizete e outros tantos. Mas a realidade é cruel e passou da hora de se situar e não iludir o torcedor com sonhos impossíveis.

Sobre o Autor

André Rocha é jornalista, carioca e blogueiro do UOL. Trabalhou também para Globoesporte.com, Lance, ESPN Brasil, Esporte Interativo e Editora Grande Área. Coautor dos livros “1981” e “É Tetra”. Acredita que futebol é mais que um jogo, mas o que acontece no campo é o que pauta todo o resto. Entender de tática e estratégia é (ou deveria ser) premissa, e não a diferença, para qualquer um que trabalha com o esporte. Contato: anunesrocha@gmail.com

Sobre o Blog

O blog se propõe a trazer análises e informações sobre futebol brasileiro e internacional, com enfoque na essência do jogo, mas também abrindo o leque para todas as abordagens possíveis sobre o esporte.

Mais Blog do André Rocha