Topo

Histórico

Categorias

A hora e a vez do Liverpool de Jurgen Klopp. Às vezes o futebol faz justiça

André Rocha

01/06/2019 18h07

O gol logo aos dois minutos de Salah – em pênalti discutível, mas marcável pelas novas orientações da FIFA à arbitragem no toque no braço de Sissoko – condicionou a final da Liga dos Campeões no Wanda Metropolitano. Com estratégia e evitando um jogo "maluco" típico da Premier League. O Liverpool pressionou a marcação, impossibilitou as combinações do Tottenham pelos flancos e acelerou as transições ofensivas.

Mesmo com Roberto Firmino no sacrifício, claramente fora de sintonia e não aproveitando os espaços às costas de Winks e Sissoko, os volantes do 4-2-3-1 armado por Mauricio Pochettino para a volta de Harry Kane ao ataque que deixou Lucas Moura no banco. Os Reds fechavam os lados, mas atacavam com Alexander-Arnold e Robertson, que finalizaram com perigo no primeiro tempo de 39% de posse  e 67% de efetividade nos passes dos Reds.

Ninguém pode dizer que o Tottenham não lutou na decisão, além da grande campanha. Foram 13 finalizações contra oito. No segundo tempo com Lucas no lugar de Winks e o time londrino no campo de ataque fazendo Alisson trabalhar e ser um dos destaques do título ao lado do incrível Van Dijk.

Assim como o iluminado Origi, que substituiu Firmino e apareceu para fazer o gol dos 2 a 0. Do título. Depois de seis vices seguidos a primeira conquista de Jurgen Klopp no Liverpool.

Para o clube agora ostentar meia dúzia de taças da Champions, só ficando atrás de Milan e Real Madrid. Time que nunca caminhou sozinho e contou com sua torcida quente e fanática. Também com a competência na ida ao mercado para preencher as lacunas de uma base já forte e formar um timaço histórico.

Porque era a hora e vez do time de Klopp. Às vezes o futebol faz justiça.

(Estatísticas: UEFA)

 

Sobre o Autor

André Rocha é jornalista, carioca e blogueiro do UOL. Trabalhou também para Globoesporte.com, Lance, ESPN Brasil, Esporte Interativo e Editora Grande Área. Coautor dos livros “1981” e “É Tetra”. Acredita que futebol é mais que um jogo, mas o que acontece no campo é o que pauta todo o resto. Entender de tática e estratégia é (ou deveria ser) premissa, e não a diferença, para qualquer um que trabalha com o esporte. Contato: anunesrocha@gmail.com

Sobre o Blog

O blog se propõe a trazer análises e informações sobre futebol brasileiro e internacional, com enfoque na essência do jogo, mas também abrindo o leque para todas as abordagens possíveis sobre o esporte.

Blog do André Rocha