Topo

Histórico

Categorias

Grêmio vence com a autoridade da cultura do mata-mata

André Rocha

14/08/2019 23h23

Everton Cebolinha mais uma vez foi o destaque ofensivo do Grêmio na vitória por 2 a 0 sobre o Athletico na Arena em Porto Alegre pelas semifinais da Copa do Brasil. Bela assistência para o gol de André e levando vantagem sobre o veterano Jonathan, especialmente no primeiro tempo. Vai fazer falta na volta por conta da suspensão pelo terceiro cartão amarelo.

O triunfo importante no jogo de ida também passa pela qualidade no meio-campo: Maicon liderando na experiência, Matheus Henrique vencendo o duelo com Bruno Guimarães na imposição do estilo e Jean Pyerre sendo o meia central que circula às costas dos volantes adversários e ainda marcando o segundo gol em cobrança de falta de longe que o goleiro Santos aceitou.

Mas é a autoridade do time de Renato Gaúcho em disputas de mata-mata que impressiona. Uma cultura coerente com a história do clube que o maior ídolo soube alimentar e fazer a equipe jogar com impressionante concentração e muita intensidade.

Destaque sem bola para a atuação quase perfeita da dupla Geromel-Kannemann, controlando Marco Rúben, mas também atenta às diagonais de Marcelo Cirino e Rony, os ponteiros do 4-1-4-1/4-3-3 do time paranaense que novamente sofreu como visitante. E a falha no primeiro gol mostra que Márcio Azevedo está longe de ser uma reposição à altura de Renan Lodi.

Mas desta vez o revés tem muito de mérito do adversário, que teve a chance de aumentar a vantagem para a volta na Arena da Baixada. Mesmo terminando com menos posse de bola (49% no final), finalizou 20 vezes, o dobro do adversário – oito a dois no alvo. Com Thaciano, Luan e Diego Tardelli nas vagas de Jean Pyerre, Maicon e André, manteve a proposta ofensiva, apertando a saída de bola do oponente e desperdiçando boa oportunidade com Tardelli.

Pode fazer falta pela força do time de Tiago Nunes em seus domínios, mas o Grêmio leva para Curitiba a virtude de manter a proposta de jogo dentro ou fora de casa. Com a confiança das conquistas recentes e a alma copeira cultivada com fibra e afeto. Cheiro de um Gre-Nal épico na final, o maior da história de um dos grandes clássicos do país.

(Estatísticas: Footstats)

 

Sobre o Autor

André Rocha é jornalista, carioca e blogueiro do UOL. Trabalhou também para Globoesporte.com, Lance, ESPN Brasil, Esporte Interativo e Editora Grande Área. Coautor dos livros “1981” e “É Tetra”. Acredita que futebol é mais que um jogo, mas o que acontece no campo é o que pauta todo o resto. Entender de tática e estratégia é (ou deveria ser) premissa, e não a diferença, para qualquer um que trabalha com o esporte. Contato: anunesrocha@gmail.com

Sobre o Blog

O blog se propõe a trazer análises e informações sobre futebol brasileiro e internacional, com enfoque na essência do jogo, mas também abrindo o leque para todas as abordagens possíveis sobre o esporte.

Blog do André Rocha