Topo

Histórico

Categorias

Athletico supera perda de Tiago Nunes e se afirma como segundo da temporada

André Rocha

25/11/2019 06h44

Foto: Divulgação / Athletico

Um time que não está entre os maiores orçamentos do país, sem tanta visibilidade midiática e pressão, que perdesse seu treinador na reta final da temporada e já estivesse com a missão mais que cumprida, com título relevante conquistado e a vaga na fase de grupos da Libertadores garantida, provavelmente "fecharia para balanço" e já começaria a planejar o ano seguinte.

O Athletico até pensa em 2020, mas mantendo o nível competitivo. A "despedida" de Tiago Nunes antes de partir para o Corinthians foi com vitória em casa sobre o CSA por 1 a 0. Com o desmanche da comissão técnica, já que Tiago levou auxiliares, preparador físico e até analista de desempenho, Eduardo Barros assumiu.

Diretor das divisões de base e ex-auxiliar de Rafael Guanaes no time sub-23. campeão paranaense, o interino não tinha muito a fazer, senão manter as características da equipe: intensidade e versatilidade para se adaptar ao que pede o jogo, sabendo trabalhar com posse ou apelando mais para o jogo direto.  Também iniciar a transição para a próxima temporada.

Dando oportunidades a jovens como Vitinho, Erick, Khellven e Abner Vinicius, aproveitando o melhor de Thonny Anderson, que deve voltar ao Grêmio depois do empréstimo para ganhar rodagem, e resgatando Camacho após um gancho de seis meses por doping. Superando a perda de Renan Lodi para o Atlético de Madrid e tentando segurar Rony, Bruno Guimarães e o goleiro Santos, os destaques da temporada.

Com elenco reoxigenado dosando juventude e experiência, o Athletico aproveitou o "vácuo" deixado pela irregularidade de Corinthians, São Paulo, Internacional e Bahia e subiu para a quinta colocação, com 56 pontos. Desde a chegada de Barros, o time empatou sem gols com o Cruzeiro na estreia de Barros e venceu por 1 a 0 São Paulo e Atlético Mineiro fora e Botafogo na Arena da Baixada. A equipe não sofre gols desde o empate com o Internacional por 1 a 1 no Beira-Rio, na 29ª rodada.

A série invicta já acumula nove partidas, desde a derrota em casa por 2 a 0 para o campeão Flamengo. Justamente o único time que supera na temporada o Athetico, que foi campeão da Copa do Brasil impondo o único revés até aqui do time de Jorge Jesus, vencendo a disputa de pênaltis nas quartas de final depois de empates por 1 a 1.

Ainda com título estadual e campanha sólida no Brasileiro, que deve transformar o G-6 em G-8 com o título do Fla também na Libertadores, o time paranaense se firma como o segundo melhor do país. Ou com os resultados mais expressivos, só abaixo do "meteoro" rubro-negro do Rio de Janeiro.

Superando perdas e se reinventando sem abandonar a filosofia. Longe dos holofotes e das grandes receitas. Não é pouco e merece muito respeito.

 

Sobre o Autor

André Rocha é jornalista, carioca e blogueiro do UOL. Trabalhou também para Globoesporte.com, Lance, ESPN Brasil, Esporte Interativo e Editora Grande Área. Coautor dos livros “1981” e “É Tetra”. Acredita que futebol é mais que um jogo, mas o que acontece no campo é o que pauta todo o resto. Entender de tática e estratégia é (ou deveria ser) premissa, e não a diferença, para qualquer um que trabalha com o esporte. Contato: anunesrocha@gmail.com

Sobre o Blog

O blog se propõe a trazer análises e informações sobre futebol brasileiro e internacional, com enfoque na essência do jogo, mas também abrindo o leque para todas as abordagens possíveis sobre o esporte.

Blog do André Rocha