PUBLICIDADE
Topo

Liverpool comprova força de melhor da Europa em "final" na Champions

André Rocha

10/12/2019 16h45

Não faltou coragem ao RB Salzburg na Áustria. O 4-1-3-2 montado por Jesse Marsch tinha mobilidade na frente com Hwang e Minamino se juntando ao jovem artilheiro Haaland, mais o apoio do lateral Ulmer pela esquerda e dos meio-campistas Szoboszlai e Mwepu alternando pelos flancos. Muita intensidade, inclusive na pressão no campo de ataque.

Mas o Liverpool é forte demais, acostumado a jogos decisivos. Variações táticas, saindo do 4-3-3 habitual para um 4-4-2 sem a bola com Mané recuando pela esquerda e um 4-2-3-1, com Keita, o substituto de Fabinho, se juntando ao tridente ofensivo ocupando o setor direito.

O camisa oito apareceu na área adversária para desperdiçar boa chance no primeiro tempo e finalizar grande jogada pela esquerda de Mané em um início de segunda etapa com muita autoridade da equipe de Jurgen Klopp. Também força mental, simbolizada por Salah, que perdeu três chances claríssimas – duas no primeiro tempo – para aproveitar a quarta driblando o goleiro Stankovic e finalizando sem ângulo. Indo às redes logo na oportunidade mais difícil.

Ratificando um domínio refletido nos números: 57% de posse e 21 finalizações contra 11 – sete no alvo para cada lado. O melhor time da Europa e do planeta deu mais uma prova de seu poder na partida que ganhou cara de "final" pela grande campanha do Napoli, mas a liderança do Grupo E ficou mesmo com o atual campeão. De Van Dijk que controlou bem Haaland e cumpriu mais uma atuação sem erros, insuperável no confronto direto.

Dos laterais Alexander-Arnold e Robertson, novamente fundamentais abrindo o campo e acelerando as transições ofensivas. Também de mais uma atuação inteligente de Roberto Firmino, na movimentação de um camisa nove que também é "dez". Encontrando no corredor esquerdo um novo espaço para confundir a marcação.

Um time inteligente e versátil que quase sempre encontra uma maneira de superar os rivais. Com bola no chão, na velocidade, no jogo aéreo, na força…Pode sofrer, mas vence.

Mesmo priorizando a Premier League, segue vivo na defesa do título europeu. E é ainda mais favorito para ganhar o mundo pela primeira vez, mesmo sem fazer tanta questão assim. Porque competir em alto nível é questão de hábito para esse Liverpool já histórico.

(Estatísticas: UEFA)

Sobre o Autor

André Rocha é jornalista, carioca e blogueiro do UOL. Trabalhou também para Globoesporte.com, Lance, ESPN Brasil, Esporte Interativo e Editora Grande Área. Coautor dos livros “1981” e “É Tetra”. Acredita que futebol é mais que um jogo, mas o que acontece no campo é o que pauta todo o resto. Entender de tática e estratégia é (ou deveria ser) premissa, e não a diferença, para qualquer um que trabalha com o esporte. Contato: anunesrocha@gmail.com

Sobre o Blog

O blog se propõe a trazer análises e informações sobre futebol brasileiro e internacional, com enfoque na essência do jogo, mas também abrindo o leque para todas as abordagens possíveis sobre o esporte.